Archive for Janeiro 2013

Estudo indica que um ambiente com som agradável a ajuda a comer menos 

Música diminui a vontade de comer
Foto: Thinkstock
Fazer a refeição num espaço aconchegante, é claro, deixa tudo muito mais gostoso – ainda mais quando está tocando a sua música preferida. Mas isso não é tudo. Em recente estudo publicado pelo jornal Psychological Reports, pesquisadores descobriram que, nessas condições, você consome cerca de 175 calorias a menos.
Os estudiosos fizeram modificações em restaurantes fast-food – colocaram luzes de led e músicas calmas. “As pessoas não mudaram os pedidos, mas comeram menos”, explica o líder da pesquisa Brian Wansink. Antes, a média de calorias ingeridas era de 949; depois, passou para 775. A explicação para o resultado? Um ambiente agradável pode aumentar a satisfação e diminuir a vontade de comer. Portanto, não custa nada colocar uma música relaxante quando for realizar suas refeições… Não é mesmo?
Fonte W Run


Artista: Destiny’s Child
Álbum: Love Songs
Gênero: RnB, Soul, Pop
Formato: MP3
Lançamento: 2013
Qualidade: 320 kbps
N° de Faixas: 14
Tamanho: 146 mb



Tracklist:
01. Cater 2 U
02. Killing Time
03. Second Nature
04. Heaven
05. Now That She’s Gone
06. Brown Eyes
07. If
08. Emotion
09. If You Leave (Feat. Next)
10. TShirt’
11. Temptation
12. Say My Name
13. Love
14. Nuclear



Estou sempre observando qual  a melhor maneira para desligar por alguns minutos do mundo que me cerca e buscar a almejada comunhão cósmica. Para silenciar vozes externas preciso sempre de uma boa música. Claro fica para todos nós que a música tem o poder de evocar lembranças, criar imagens e mexer com nosso ser interior. Os ritmos vibrantes nos convidam a dançar, sacudir o corpo, acompanhar a percussão com os pés, mas pra meditar e tentar conter as outras sensações a música ideal é aquela que nos mantém calmos, que nos conduz à serenidade. Então começo por selecionar as músicas que me acompanharão nessa experiência insana para a maioria das pessoas. Sim, porque para muitas o estado de êxtase vem do louvor coletivo, do entusiasmo vibratório que se consegue nas catarses coletivas.  Isso é uma evidência que todas as formas de orar e buscar a Deus são  verdadeiras.  O Ser em nosso interior pode ser despertado por vários métodos. Este artigo traz embutido, além da mensagem  da importância da música no processo de meditação, o reconhecimento das verdades alheias , da aceitação e tolerância quanto às formas de amor divino.
 Estar em harmonia é trazer para a vida prática o que aprendemos na solidão de nossos sanctuns, nas viagens que bloqueiam nossos sentidos e nos transformam em energia pura. Temos observado que a meditação é espiralada e, certa vez, ao tentar explicar isso a um novo amigo, ele só conseguia imaginar a espiral em um plano, como um caracol desenhado sobre uma folha de papel. Para ele a espiral tinha apenas duas dimensões. Senti que ele teria dificuldades em pensar na espiral em três dimensões, como uma mola. O ponto de encontro de nossas formas de abordagem para a comunhão foi a música. Ele sentia que determinadas músicas tinham o poder de isolá-lo do mundo e encaminhá-lo para  labirintos interiores. Melodias apenas instrumentais e sua experiência era mais intensa quando a música era crescente, começavam mais graves e, aos poucos, atingiam notas mais altas. Ele acompanhava as variações da música. Ele sentia a música em espiral.  O treinamento foi burilando seu gosto musical, lhe apresentando novos instrumentos e arranjos de uma mesma peça. Alguns compositores pareciam ser especialistas e terem composto com o objetivo de levar as pessoas ao clímax. Assim, a música que tanto mexe conosco, cumpre sua função de nos tirar do cotidiano e nos transportar para uma aventura desconhecida, mas muito familiar, de descobrimento e encantamento interior.
O caminho de volta para si mesmo é solitário e particular, por isso não se pode dizer que esta ou aquela música conseguirá  acompanhá-lo nessa jornada mística. Cada um precisa fazer sua pesquisa e encontrar as músicas com as quais se identificam. É como na vida. Temos níveis de aprendizado, de consciência, de evolução. Se a ninguém é dado o poder de saber quanto o outro já caminhou na Senda, podemos, no entanto, nos reconhecer e nos identificar com aqueles que estão no mesmo plano. Faço questão de frisar que a visão hierárquica só é válida para este mundo que vivemos. No reino espiritual somos apenas energia. Somos como elétrons e nêutrons girando em torno do núcleo. Podemos estar mais próximos do centro, ou mais distantes, mas não podemos classificar esses estágios como superiores ou inferiores. Isso é coisa humana, existe para provocar a ordem e a disciplina. Da mesma forma, não se pode afirmar que o que aqui escrevo/descrevo seja uma verdade absoluta. Apenas compartilho experiências que podem acender o estopim de alguns, sem o compromisso de provocar a grande explosão. O caminho a ser seguido é de disciplina, de obediência, de humildade, de retidão. Pode-se oferecer a chave, mas ela está em uma sala cheia de outras chaves e cada um terá que encontrar a sua, e ainda ter a consciência de que a sua verdade ainda não é a absoluta, mas abre algumas câmaras secretas. A chave dos grandes mistérios ainda está oculta para a humanidade. A aventura está em descobrir, em desvendar, em estudar e dedicar parte do seu tempo na construção de um mundo melhor.
(Kleber Adorno, escritor, advogado e pró-reitor de Comunicação e Cultura do Uni-Anhanguera)


Barack Obama
Barack Obama irá celebrar sua posse como presidente reeleito dos Estados Unidos com várias festas que rolam a partir de 19 de Janeiro, e elas serão animadas por bandas de quem Obama é fã.
Tão fã que na última Quinta-feira criou uma playlist no serviço de streaming Spotify contendo músicas desses grupos e de artistas que o inspiraram.
Veja só como ficou a playlist do cara:
  1. Stevie Wonder – Signed, Sealed, Delivered (I’m Yours)
  2. Beyoncé – I Was Here
  3. Marc Anthony – Mi Gente
  4. Fun. – Carry On
  5. Alicia Keys – New Day
  6. Brad Paisley – Mud On The Tires
  7. Far East Movement – Turn Up The Love
  8. Glee Cast – Edge Of Glory
  9. James Taylor – Your Smiling Face
  10. John Legend – Ordinary People
  11. Katy Perry – Firework
  12. Kelly Clarkson – Breakaway
  13. Nick Cannon – My Mic
  14. Usher – Something Special
  15. Walt Whitman – Higher And Higher
  16. Smokey Robinson & The Miracles – Get Ready
  17. Mindless Behavior – Future
  18. Jennifer Hudson – Feeling Good
  19. Soundgarden – Live To Rise
  20. Black Violin – Brandenburg
  21. Maná – Bendita Tu Luz
  22. Jamie Foxx – Fly Love (da trilha do desenho animado “Rio”)
Para ouvir as músicas no Spotify é só clicar aqui.


Bandas clássicas do pop rock nacional seguem ativas e influentes no cenário da música brasileira


Como Barão Vermelho, Kid Abelha, Capital Inicial e Paralamas do Sucesso chegam aos 30 anos Agencia RBS/Arte ZH sobre divulgação
Se virando nos 30: Barão Vermelho, Kid Abelha, Capital Inicial e Paralamas do SucessoFoto: Agencia RBS / Arte ZH sobre divulgação
Eles chegaram pedindo a mão. E, vá lá, um pouquinho do braço. De repente, tornaram-se protagonistas de uma revolução que subverteu a música popular brasileira e criou sua própria chancela: o BRock. E quatro dos grandes responsáveis por lançar as bases do rock nacional, as bandas Capital Inicial, Barão Vermelho, Kid Abelha e Paralamas do Sucesso, entram 2013 comemorando três décadas de carreira em diferentes estágios de atividade.

O Barão começou a comemorar os 30 anos do lançamento do seu primeiro disco no ano passado. O álbum de estreia, solenemente ignorado na época, ganhou relançamento com direito a remasterização e faixas-bônus. Mas a reunião para festejar a efeméride, que passa por Porto Alegre no dia 2 de março, não garante nada.
- Ainda não sabemos o que vai ser feito depois dessa turnê. Existem planos, mas nada definido - despista o baterista Guto Goffi.
Por enquanto, o Barão segue tocando para uma plateia formada em sua maioria por uma gurizada que não os viu nascer nos anos 1980 e tem, talvez, uma vaga lembrança de como a banda se segurou nos 1990, lançando discos irregulares e emplacando um ou outro hit no rádio e na TV.
- O público dos nossos shows nos conheceu pelos pais ou irmãos mais velhos. Quem passou dos 40 só vai a shows se for para ficar sentado, tomando seu uisquinho - brinca Goffi.
Com uma pegada mais pop, o Kid Abelha também reúne um público que mescla seus primeiros seguidores com gente mais nova. A banda de Paula Toller está em sua segunda turnê comemorativa aos 30 anos de estrada. Começou em 2011, com a excursão Glitter de Principiante e segue agora com os shows do projeto Multishow ao Vivo: Kid Abelha 30 Anos. Mesmo não lançando nada novo desde 2005, garante seu espaço com os sucessos oitentistas e carisma de seus integrantes.
Situação semelhante é vivida pelo Paralamas do Sucesso. A banda vinha mantendo uma discografia regular e com boa repercussão, mas sentiu o baque do acidente sofrido por Herbert Vianna, em 2001. Desde então, o trio lançou três discos de inéditas, mas segue fazendo shows apoiados quase que totalmente nos êxitos do passado.
No ano em que Herbert Vianna, João Barone e Bi Ribeiro festejam os 30 anos do lançamento de Cinema Mudo, seu álbum de estreia, há planos para uma turnê comemorativa.
Talvez o único da turma a se renovar constantemente seja o Capital Inicial. Depois de ressuscitar em 2000, com o Acústico MTV, a banda brasiliense seguiu atraindo novos fãs, com músicas novas e hits radiofônicos. Por isso, diferentemente de seus colegas, os shows do Capital são compostos majoritariamente por uma gurizada afinada com a banda, que curte tanto os sucessos do passado quanto as composições atuais.
- Não queremos ficar como essas bandas que jogam confete sobre si mesmas quando fazem aniversário. Se for para comemorar 30 anos, que seja com um novo trabalho - disse o vocalista Dinho Ouro Preto ao lançar o último disco do grupo, Saturno, em 2012.
Se virando nos 30
Relembre a seguir a trajetória dessas quatro bandas e em que contexto cada uma celebra seus 30 anos de estrada.
PARALAMAS DO SUCESSO
Disco de estreia: Cinema Mudo (1983).
Primeiro sucesso: Antes de ser lançado no primeiro disco, Vital e sua Moto virou hit do verão carioca.
O estouro: O segundo disco, O Passo do Lui (1984), enfileirou sucessos como Óculos eMeu Erro. A apresentação consagradora no Rock in Rio, em janeiro de 1985, consolidou a banda no topo do rock nacional.
A baixa: No começo dos anos 1990, o Paralamas lançou álbuns com sonoridades mais experimentais que venderam pouco, Os Grãos (1991) e Severino (1994).
A virada: No disco Nove Luas (1996), retomaram a pegada mais pop e apresentaram hits como Lourinha Bombril, vendendo 600 mil cópias.
Momento atual: O mais recente disco de inéditas, Brasil Afora, foi lançado em 2009. Em 2011, a banda apresentou o álbum e DVD Multishow ao Vivo: Os Paralamas do Sucesso, com o qual segue na estrada. No site oficial, anunciam que "2013 promete muitas alegrias e que vem coisa divertida por aí".
KID ABELHA
Disco de estreia: Seu Espião, de 1983
Primeiro sucesso: Num compacto de 1982, lançaram dois grandes hits, Pintura Íntima (aquela do refrão "Fazer amor de madrugada...") e Por que Não Eu?.
O estouro: Em janeiro de 1985, o então chamado Kid Abelha e os Abóboras Selvagens foi uma das revelações do Rock in Rio. Em seguida, lançou o segundo álbum, Educação Sentimental, com hits como Garotos e Lágrimas e Chuva.
A baixa: O baixista Leoni, fundador e principal compositor nos dois primeiros discos, deixou a banda. Até 1987 houve várias mudanças até que fosse fixada a formação em trio que se mantém até hoje, com Paula, Israel e o guitarrista Bruno Fortunato.
A virada: O Kid Abelha nunca deixou de fazer sucesso, mas a gravação do Acústico MTV, em 2002, em comemoração aos 20 anos da banda, foi um grande êxito - com mais de 1,25 milhão de discos comercializados.
Momento atual: Depois de quatro anos de recesso (entre 2007 e 2010), a banda voltou comemorando seus 30 anos com a turnê Glitter de Principiante. O "novo" Kid Abelha tem menos a ver com a versão acústica dos anos 2000 e mais com a pegada anos 1980 que o consagrou no início da carreira.
BARÃO VERMELHO
Disco de estreia: Barão Vermelho (1982).
Primeiro sucesso: Pro Dia Nascer Feliz, do disco Barão Vermelho 2 (1983), começou a tocar nas rádios depois que Ney Matogrosso a regravou 10 meses depois.
O estouro: A banda alcançou o sucesso com o disco Maior Abandonado (1984), que continha as músicas Por Que a Gente É AssimBete Balanço e a faixa-título. Vendeu cerca de 100 mil cópias na época.
A baixa: Cazuza, voz e letra do grupo, debanda em 1985 para iniciar carreira solo. Os dois discos seguintes do Barão, Declare Guerra (1986) e Rock 'N'Geral (1987), são fracassos de venda e quase terminam com a banda
A virada: Álbum (1996), disco só com regravações, foi o mais vendido da carreira do Barão e colocou a banda novamente para tocar no rádio. Os singles Vem Quente que Eu Estou Fervendo e Amor Meu Grande Amor ganharam clipes na TV.
Momento atual: Em turnê para comemorar os 30 anos de carreira, o Barão tem lotado as casas de shows. Mas o futuro da banda ainda é incerto.
CAPITAL INICIAL
Disco de estreia: Capital Inicial (1986)
Primeiro sucesso: Música Urbana, do primeiro álbum, composta por André Pretórios, Flávio Lemos, Renato Russo e Fê Lemos, então integrantes da banda Aborto Elétrico.
O estouro: Depois do álbum de estreia, que rendeu disco de ouro, a banda lançou o segundo trabalho, Independência (1987), e abriu os shows da turnê de Sting no Brasil. Em 1990, o grupo participou do Hollywood Rock.
A baixa: Ao lançar o disco Eletricidade (1991), que trazia a versão para The Passenger, de Iggy Pop, e participar do Rock in Rio, brigas internas levam Dinho Ouro Preto a seguir carreira solo.
A virada: Após a reunião dos integrantes originais no álbum Atrás do Olhos (1998), o grupo estourou novamente dois anos depois com o Acústico MTV.
Momento atual: O Capital Inicial voltou-se ao público mais jovem e lançou discos de inéditas e de registros ao vivo.



Na última terça-feira (1), a música "Billie Jean", de Michael Jackson, completou 30 anos. Lançada em 1983, a faixa foi inicialmente reprovada pelo produtor Quincy Jones, mas acabou sendo lançada como segundo single do álbum "Thriller".
Para comemorar o aniversário da canção, uma das mais vendidas da histórias, o site da revista "New Musical Express" listou 30 curiosidades sobre a canção:
1. A música foi mixada 91 vezes pelo produtor Bruce Swedien
2. Walter Yetnikoff, presidente da gravadora de Michael Jackson, ameaçou acusar a MTV americana de racismo quando a emissora mostrou resistência em divulgar o clipe de "Billie Jean", por ser estrelada por um negro.
3. Michael Jackson compôs "Billie Jean" enquanto dirigia seu Rolls-Royce. Ele ficou tão absorto na composição, que não notou que seu carro estava pegando fogo. Um motociclista o avisou do perigo.
4. Quincy Jones não queria que "Billie Jean" aparecesse em "Thriller"
5. Jones odiava a linha de baixo da canção
6. Ele também odiava a introdução da música
7. "Mas essa é a delícia. É isso que me faz querer dançar", respondeu Michael Jackson às críticas do músico.
8. Michael Jackson e Quincy Jones discordaram sobre o título da canção. Preocupado com a possibilidade de as pessoas confundirem o personagem da música com o tenista Billie Jean King, Jones queria que o single se chamasse "Not My Lover", mas Jackson ganhou a discussão.
9. No entanto, Michael não conseguiu os créditos de co-produtor da faixa, muito menos os royalties.
10. Michael Jackson cantou os vocais de "Billie Jean" em um tubo de papelão de seis metros de comprimento.
11. O primeiro "moonwalk" de Michael Jackson foi executado quando ele cantou "Billie Jean" no programa "Motown 25: Yesterday, Today, Forever".
12. Michael Jackson confessou a Daryl Hall que se inspirou na música "I Can't Go for That (No Can Do) da banda Hall & Oates para compor Billie Jean.
13. Nas gravações, Michael acertou os vocais em apenas uma tomada.
14. Os cabelos de Michael pegaram fogo durante as gravações de um comercial para a Pepsi, que tinha "Billie Jean" como trilha sonora.
15. "Billie Jean" foi a faixa que impulsionou o disco "Thriller", o álbum mais vendido de todos os tempos.
16. Michael Jackson explicou que "Billie Jean" é uma música sobre groupies. Ele escreveu a canção baseado na sua experiência com as fãs do "Jackson 5". "Naquela época, toda garota alegou que tinha um filho dos meus irmãos", disse Jackson.
17. Outra teoria para a música é que Billie Jean é uma pessoa real.
18. O biógrafo J. Randy Taraborrelli diz que Billie Jean é uma mulher que escreveu uma carta para Michael Jackson dizendo que ele era pai de um de seus gêmeos.
19. Depois de uma série de cartas, a mulher teria enviado um pacote que continha uma arma para Michael Jackons, dando instruções para que ele cometesse suicídio em determinada data, depois que ela e o bebê também estaria mortos.
20. Michael Jackson chegou a traçar um retrato falado da perseguidora que enviou o pacote para sua casa.
21. Um cover de "Billie Jean" foi gravado por Ian Borwn
22. O filhote de tigre que aparece no final do vídeo pertencia a Michael Jackson e se chamava Thriller
23. Michael Jackson não dança até metade do vídeo. Ele só começa as coreografias a partir de 2:31 do clipe.
24. A canção está na chave de F#menor
25. O código de barras na capa do álbum continha sete dígitos e circularam boatos de que seria o número do telefone de Michael Jackson.
26. Chris Cornell também fez um cover, razoável, de "Billie Jean".
27. A música foi remixada por Kanye West
28. Quincy Jones disse para o engenheiro de áudio da música adicionar "personalidade sônica" à canção.
29. Ele também disse para Swieden criar um som de bateria que ninguém tivesse ouvido antes.
30. O manuscrito da letra de "Billie Jean" foi vendido por £24,984 em um leilão em 2012.



O ano de 2013 mal começou, e os fãs de música já podem organizar sua agenda para mais uma temporada de shows. De heavy metal a indie rock, a oferta segue farta e variada em Porto Alegre. Grandes festivais no Rio e em São Paulo também despontam no horizonte, repletos de atrações nacionais e internacionais. Para ajudar o leitor a se programar, o Studio 2002 apresenta o calendário com os principais shows já confirmados.
Janeiro

Dia 9 - Suicidal AngelsA banda grega de thrash metal se apresenta no Beco. Ingressos: R$ 60.
Dias 11 e 12 -Planeta Atlântida SC O festival no Sapiens Parque, em Florianópolis, terá atrações como Planet Hemp, Raimundos e Charlie Brown Jr. Ingressos: R$ 180 (arena), R$ 280 (passaporte para os dois dias), R$ 270 (camarote individual) e R$ 410 (passaporte para os dois dias no camarote).
Dia 25 - EluveitieDireto da Suíça, o grupo de folk metal faz show no Beco. Ingressos: R$ 70.
Dia 26 - MECA O festival indie traz a Xangri-lá bandas como Dragonette e Zulu Winter. Ingressos: R$ 70.
Dia 27 -DestructionA banda alemã de metal extremo faz show no Beco. Ingressos: R$ 70.

Fevereiro

Dias 1º e 2 - Planeta Atlântida
O festival, que ocorre na sede campestre da Saba, já divulgou atrações como Planet Hemp, Racionais MC's, Esteban e Cachorro Grande. Ingressos: R$ 115 (arena), R$ 190 (passaporte para os dois dias), R$ 330 (camarote individual) e R$ 525 (passaporte para os dois dias no camarote).
Dias 7 e 10 - JamiroquaiO grupo toca primeiro em São Paulo, no Credicard Hall, e depois em Santa Catarina, no Stage Music Park. Ingressos: entre R$ 55 e R$ 550 em SP. Em SC, os valores ainda não foram divulgados.

Março

Dia 2 - Barão Vermelho
A banda comemora seus 30 anos com show no Opinião. Ingressos: R$ 50 (pista), R$ 80 (mezanino) e R$ 90 (pista VIP).

Dia 5 - Elton John
O astro britânico se apresenta pela primeira vez em Porto Alegre. Ele vai cantar clássicos dos anos 1970, 80 e 90 em show no Estádio do Zequinha. Ingressos: R$ 180 (pista), R$ 250 (arquibancada) e R$ 350 (cadeira estádio).
Dias 6 e 7 - Maria Bethânia Depois de dois adiamentos, a cantora apresenta o show Carta de Amor no Teatro do Sesi. Ingressos: R$ 50 (lote promocional de mezanino), R$ 85 (mezanino) e R$ 95 (plateia).
Dia 14 - Jonas BrothersO trio de irmãos volta a tocar em Porto Alegre, no Pepsi On Stage. Ingressos: R$ 120 (pista) e R$ 200 (mezanino e pista premium).
Dias 29, 30 e 31- Lollapalooza A segunda edição brasileira do festival será novamente em SP. Entre os headliners, estão Pearl Jam, Black Keys e Killers. Ingressos: R$ 360 por dia.
Abril
Dia 12 - Ziggy MarleyO filho mais famoso do pai do reggae faz show no Pepsi On Stage. Ingressos: R$ 80 (pista), R$ 120 (mezanino), R$ 140 (pista VIP).
Maio
Dia 14 - UFOA decana banda britânica de hard rock toca no Teatro do CIEE. Ingressos: valores ainda não divulgados.

Setembro

De 13 a 22 - Rock In Rio O maior evento de música do país ocorrerá durante sete noites, entre os dias 13 e 22 de setembro, no Rio de Janeiro. A programação, que está sendo divulgada aos poucos, já inclui Muse, Metallica, Bruce Springsteen, Iron Maiden e Slayer. Ingressos: o lote promocional já está esgotado. O restante tem previsão de vendas para abril.

Related Posts with Thumbnails