Um memorável ponto final para o Simply Red

Filed in ,

Banda faz sua última turnê pelo Brasil, com Mick Hucknall em plena forma
Marcelo Rossi/Foto Galeria
Veja mais fotos do show em SP 
O vocalista do @truesimplyred Mick Hucknall disse que este foi o último show do grupo na capital paulista

Credicard Hall lotado para receber o hipotético último show da turnê mundial dos britânicos do Simply Red, banda que está na estrada desde 1985 e com décadas recheadas de hits em seu currículo.
Há algum tempo, o líder Mick Hucknall anunciou o fim de suas apresentações com o grupo. Enquanto isso, um público maduro e ansioso espera a entrada dos músicos, num palco repleto de cortinas obviamente vermelhas.
Com meia hora de atraso, começam os primeiros acordes de Out Of The Range, do álbum Life, de 1995. Numa pista sem cadeiras e completamente tomada - os ingressos de R$ 300 se esgotaram rapidamente -, os fãs iniciam uma dança tímida. E onde havia cadeiras, nenhum espacinho.
Com os tradicionais cabelos avermelhados com um ar mais moderno e menos oitentista, Hucknall começa a dizer a que veio logo na primeira canção. Ah, aquela voz! Um vocal potente e irrepreensível. Ele grita, para delírio do público. Que logo se mostra decepcionado, mas depois, aplaude, ao ouvir as palavras do cantor.
- Nós voltamos, mais uma vez. Pela última vez. Não fiquem tristes.
A New Flame, disco de 1989, ganha destaque no set list. More, Enough e a balada chiclete If You Don't Know Me By Now - que encerrou o espetáculo -, são cantadas a plenos pulmões.O que até disfarça o som ruim da casa.
Era até possível ver de longe o vocalista fazendo sinais pedindo a melhora de seu retorno. Mesmo assim, ele pedia que o público cantasse cada vez mais alto. Foi atendido a cada balada executada com perfeição: Holding Back The Years, For Your Babies e até Stars, que ganhou uma versão surpreendentemente suingada.
E os casais aproveitam para dançar abraçadinhos.
To Be With You, Come To My Aid e The Right Thing eram o detalhe que faltava para que todos se soltassem e explodissem em palmas. Inclusive o próprio Hucknall, já descabelado e sem o sisudo colete.
Aliás, suas dancinhas e simpatia enchem o palco, mesmo sem muita conversa. E então, virou pista, mesmo com os arranjos cheios de doçura e os longos solos de saxofone. E finalmente, aquela promessa do começo do show é cumprida.
- São 25 anos. Isso é uma celebração.
Duas voltas ao palco, e mais hits. Fairground e Something Got Me Started parecem saídas de pick-ups. Limpas e perfeitas. Com toda certeza, um show memorável, mas só para fãs. E um dos únicos onde o público levanta as mãos, bate palmas, se beija e não há, sequer, um tambor de axé.
via R7

Posted by Paulo Studiow @ quarta-feira, 21 de abril de 2010 0 comments

Share This Post

RSS Digg Twitter StumbleUpon Delicious Technorati

Related Posts

0 Comments

No comments yet. Be the first to leave a comment !
Leave a Comment

"O grande segredo para a plenitude é muito simples: compartilhar." --Sócrates

Música é vida!

Next Post Previous Post
Related Posts with Thumbnails